Para ler:

A Invenção de Hugo Cabret

A invenção de Hugo Cabret

Texto e ilustrações de Brian Selznick, que inspiraram o belo filme de Martin Scorsese. Totalmente recomendado, não foi à toa que virou filme. Os desenhos, maravilhosos, não são apenas ilustração, mas compõem a narrativa. Fantástico para quem gosta das letras e para quem gosta das imagens. É um bom presente para qualquer idade.

A invenção de Hugo Cabret, de Brian Selznick

Para ouvir:

Sortimento

Difícil afirmar isso, principalmente pra uma fã tão incondicional como eu, mas tenho considerado muito a possibilidade de encarar o Sortimento como o melhor disco da Zélia Duncan. Diria que é um dos discos obrigatórios de quem gosta da “nova” música brasileira.

Para ver:

Ponte para Terabitia

ponte-para-terabitia-poster01

É um belo filme. Aos que dizem que não é para crianças, acho que posso dizer que as crianças que eu vi assistirem gostaram tanto, que repetem seguidas vezes. Um filme sobre amizade, sobre amor e sobre como dar a volta por cima.

Ponte para Terabítia

Sobre o aborto

6 de junho de 2013

JÁ QUE HOJE É DIA DAS MÃES…

Independente de posições religiosas, eu prefiro defender contraceptivos a defender o aborto. Ontem falávamos sobre isso no grupo de pais de jovens da SEAE: fazer escolhas significa, muitas vezes, deixar coisas para trás. Nem sempre é fácil se manter firme em determinadas escolhas.

Mas o bom é que na vida, além de tempo, também temos o livre arbítrio. Podemos mudar de tempos em tempos, reavaliar e escolher de novo. Como dizia Chico Xavier, não podemos fazer um novo começo, mas podemos, a qualquer instante, começar de novo e tentar fazer um novo fim.

Algumas escolhas, porém, são para sempre: filhos, por exemplo. Você não pode deixar de tê-los, uma vez que já os teve. Não pode devolver, trocar por um de tamanho ou cor diferente. Alguns podem até abandonar os filhos, mas é uma opção que gera uma dívida muito significativa. É por isso que não consigo ser a favor do aborto.

Com tantas formas de prevenção contra a gravidez, não se pode alegar desinformação, nos dias de hoje. Como me disse um amigo uma vez, se você não está evitando, você está tentando engravidar. Não há caminho do meio.
Gravidez não é sempre fácil. Mas é rápido. Não dura a vida inteira. Por isso defendo, não com unhas e dentes, mas com palavras e coração, a entrega de um bebê indesejado para adoção.

Você cumpre seu papel e oferece aos outros oportunidades que podem não ser a sua escolha, mas podem ser a deles.

P.S.: Postado no Dia das Mães de 2013, no Facebook.

Por umaborboleta em Sem categoria | Nenhum comentário »

Deixe um comentário


© Vanessa Pacheco, Brasília, 2000
Atualizado com o WordPress
Feito pelo Zamorim