Para ler:

A Invenção de Hugo Cabret

A invenção de Hugo Cabret

Texto e ilustrações de Brian Selznick, que inspiraram o belo filme de Martin Scorsese. Totalmente recomendado, não foi à toa que virou filme. Os desenhos, maravilhosos, não são apenas ilustração, mas compõem a narrativa. Fantástico para quem gosta das letras e para quem gosta das imagens. É um bom presente para qualquer idade.

A invenção de Hugo Cabret, de Brian Selznick

Para ouvir:

Sortimento

Difícil afirmar isso, principalmente pra uma fã tão incondicional como eu, mas tenho considerado muito a possibilidade de encarar o Sortimento como o melhor disco da Zélia Duncan. Diria que é um dos discos obrigatórios de quem gosta da “nova” música brasileira.

Para ver:

Ponte para Terabitia

ponte-para-terabitia-poster01

É um belo filme. Aos que dizem que não é para crianças, acho que posso dizer que as crianças que eu vi assistirem gostaram tanto, que repetem seguidas vezes. Um filme sobre amizade, sobre amor e sobre como dar a volta por cima.

Ponte para Terabítia

Queria ter o guarda-roupa da Mônica

10 de abril de 2013

As roupas que eu uso não revelam quem eu sou. Muito menos o carro que eu dirijo.

Quem mostra quem eu sou é o jeito como lido com as pessoas à minha volta. Aquelas com quem escolhi viver, e aquelas com quem sou obrigada a conviver, por força das circunstâncias.

E eu escolhi sorrir ao dar bom dia, saber os nomes, ouvir conversas que podem ser úteis só para elas, dizer “até amanhã” ou “bom fim de semana”, levar café e chocolate quente pra aula de inglês, eventualmente gastar algumas horas numa lembrança de Natal. E escolhi ver o lado bom que todo mundo tem. Ou, se não encontrá-lo imediatamente, escolhi cultivar a paciência, porque um dia esse lado bom se revela.

E quem ganhou com isso, se não eu mesma?

(P.S.: Há algum tempo, publiquei aqui um post todo indignado com maus comportamentos que presenciei nas ruas. Engraçado pensar que eles quase não me incomodam mais. Acho que, finalmente, encontrei o caminho rumo a uma vida mais leve.)

Por umaborboleta em Sem categoria | 1 Comentário »

Um comentário para “Queria ter o guarda-roupa da Mônica”

  1. Tatiana disse:

    Coisa boa. Todo mundo devia escrever com frequência, pra se autoconhecer. Vou falar disso no Grupo de Pais.

Deixe um comentário


© Vanessa Pacheco, Brasília, 2000
Atualizado com o WordPress
Feito pelo Zamorim